Deprecated: Function ereg_replace() is deprecated in /home/holdlinehost/novacriatura.com.br/templates/conteudo/html/modules.php on line 45
header conteudo nova criatura

Deprecated: Function ereg_replace() is deprecated in /home/holdlinehost/novacriatura.com.br/templates/conteudo/html/modules.php on line 45

Deprecated: Function ereg_replace() is deprecated in /home/holdlinehost/novacriatura.com.br/templates/conteudo/html/modules.php on line 45

Deprecated: Function ereg_replace() is deprecated in /home/holdlinehost/novacriatura.com.br/templates/conteudo/html/modules.php on line 45

Biblia on line nova criatura

Davi em Ziclague

I Samuel 27

Nós estamos chegando nos últimos dias do reinado de Saul e o começo do reinado de Davi. Aqui estão figuras que representam a vida de variados tipos de crentes, um restaurado por Deus e o outro tirado por Deus. Davi obviamente foi restaurado por Deus, e Saul não o foi. Na morte de Saul, creio que temos uma ilustração daquilo que as Escrituras chamam de “pecado para a morte”, mencionado em I João 5.16 ou em I Coríntios 11.30. Nós falaremos mais sobre isto oportunamente.

Eu gostaria de olhar para a vida de Davi primeiramente. Vamos ver o capítulo 27 e alguns versos do capítulo 28 hoje. Na próxima oportunidade vamos ver o capítulo 29 e 30. Depois disto veremos a vida de Saul naquilo que está registrado na parte final do capítulo 28 e então no capítulo 31. Ainda assim, eu creio que tanto Davi quanto Saul eram homens crentes que mostravam a depravação do homem natural.

Ao findar o capítulo 26, Davi tendo recusado a insinuação de Abisai de matar a Saul, ainda que Deus tivesse feito dormir em pesado sono todo o exército de Saul e entregue Saul nas mãos de Davi. Ele faz uma afirmação em I Samuel 26, verso 10, que me impressiona: “Tão certo como vive o Senhor, este o ferirá, (morte natural) ou o seu dia chegará em que morra, (como fez com Nabal num colapso cardíaco ou algo fatal que lhe tirou a vida) ou em que, descendo à batalha, seja morto. O Senhor me guarde de que eu estenda a mão contra o seu ungido”. Então, no verso 24, ele confronta a Saul em sua maldade de persegui-lo por puro ciúmes, quando Davi não fizera nenhum mal contra ele (Saul) “Assim como foi a tua vida, hoje, de muita estima aos meus olhos, assim também seja a minha aos olhos do Senhor, e ele me livre de toda tribulação.” Então Saul disse a Davi: “Bendito sejas tu, meu filho Davi; pois grandes coisas farás e, de fato, prevalecerás. (literalmente: “você vencerá”) Então, Davi continuou o seu caminho, e Saul voltou para o seu lugar.”

Davi acabara de ter uma vitória espiritual estupenda. Ele resistiu à oportunidade de matar a Saul e deixou Saul nas mãos de Deus. Parecia que, de todos os momentos da vida de Davi, que ele poderia a partir desta demonstração da parte de Deus, passar a andar seguro com o Senhor sem qualquer problema relacionado com a sua fé. Deus acabara de demonstrar como ele sustentava a vida de Davi, e Davi acabara de fazer uma afirmação de fé extraordinária.

O que acontece a seguir? Davi tira os seus olhos de olhar para o Senhor e passa a olhar para as circunstâncias novamente.

Há um padrão aqui mostrado. I João 2.15 nos indica este padrão: “deixe de amar o mundo e as coisas que existem no mundo, ... porque tudo o que há no mundo, a concupiscência da carne, (a palavra concupiscência denota um forte desejo, não necessariamente um desejo sexual e este desejo pode ser bom ou mal) um imenso desejo da carne pelas coisas materiais ou um forte desejo de receber aquilo que seu orgulho da vida pede (status, pompa, cerimônia, poder, posição), que não vem de Deus, mas vem do mundo e o mundo haverá de passar, e estes desejos imensamente apaixonados também passarão; mas aquele que faz a vontade de Deus permanece eternamente.”

Aqui está a progressão do pecado. Ele sempre começa com desejos normais, desejos naturais. No caso de Cristo e seu teste em Lucas, começou com um desejo natural e normal por comida, depois de quarenta dias dias sem comida, mas acima de seu desejo natural estava o seu desejo de se submeter à vontade de Deus. Começa tudo com um desejo natural e normal, mas que pode estar fora da vontade de Deus. E estes desejos progridem e crescem, porque um desejo carnal satisfeito deseja satisfazer outro desejo e o desejo engole o desejo e o gole seguinte, seguinte, seguinte nos engole. Você passa a fazer pequenos deuses de outras coisas totalmente alheias do verdadeiro Deus e as possessões passam a ser o seu desejo, e quando elas passam a ser o seu desejo, as possessões o possuem, você não as possui mais. O último elo desta corrente escravizante é quando você se torna o seu próprio Deus, a soberba da vida. Esta é uma progressão descendente. Foi exatamente o que aconteceu com Eva em Gênesis 3. Por que Satanás haveria de mudar as suas táticas.

Elas têm funcionado por milhares de anos. Milhares de anos antes de Davi, veja o que aconteceu com Eva.

Gênesis 3, verso 1:

Mas a serpente, mais sagaz que todos os animais selváticos que o Senhor Deus tinha feito, disse à mulher: É assim que Deus disse: Não comereis de toda árvore do jardim? Respondeu-lhe a mulher: do fruto das árvores do jardim podemos comer;, mas do fruto da árvore que está no meio do jardim, disse Deus: Dele não comereis, nem tocareis nele, para que não morrais’” (Deus jamais disse isto, mas ali estava a árvore que ela desejava e ela começou colocar pequenas restrições nela) então, a serpente disse à mulher: É certo que não morrereis! (Na língua hebraica há uma ênfase na palavra não. Não! Não morrereis”, uma negação enfática ao que Deus disse) Porque Deus sabe que no dia em que dele comerdes vos abrirão os olhos e, como Deus, sereis conhecedores do bem e do mal.” ( O destino último do homem aparte de Deus. Vocês serão como ele. Vocês serão deuses.) Vendo a mulher que a árvore era boa para se comer; (um forte desejo da carne, um desejo normal, desejo natural. Segundo) agradável aos olhos Ele desejou possuí-lo. Beleza é parte da dádiva de Deus para as mulheres. Elas amam as coisas belas. Terceiro.) e árvore desejável para dar entendimento, (Como Deus, o orgulho arrogante da vida, Um deus que controle a si mesmo e não esteja debaixo de mais ninguém) tomou-lhe do fruto e comeu e deu também ao marido, e ele comeu. (Obviamente um ato de amor, mas um amor tolo, que deseja que o outro seja parceiro no pecado, não quer pecar sozinho).

Este é o padrão, e é isto o que vemos acontecendo aqui. Davi tinha tido uma vitória espiritual impressionante, mas ao invés de olhar para Yahweh ele passou a olhar para as circunstâncias. Ele estava debaixo de circunstâncias porque ele não tinha seus olhos postos em Deus que está acima das circunstâncias. Estamos sempre acima das circunstâncias ou debaixo das circunstâncias. Você jamais estará num platô. Você estará acima ou abaixo delas.

Então vamos olhar para Davi, em I Samuel 27, verso 1:

Disse, porém, Davi consigo mesmo: (Não a Deus, mas a si mesmo. Aqui está um pronome pessoal e é a partir disto que você começa a perceber os problemas que surgem) Pode ser que algum dia venha eu a perecer nas mãos de Saul; nada há, pois, melhor para mim do que fugir para a terra dos filisteus; para que Saul perca de todo as esperanças e deixe de perseguir-me por todos os limites de Israel; assim, me livrarei da sua mão.”

Davi está cansado de ser cassado fugindo pelos desertos como um animal. Ele está cansado de estar debaixo da provisão de Deus. Ele quer ter as coisas debaixo de seu controle. Ele quer sair daquela pressão, ser livre da possibilidade da morte, estar livre desta contínua pressão de dormir com uma das suas mãos na espada e a outra no mantendo atento o seu ouvido pelas ameaças intermináveis, correndo de um homem louco que está obcecado em liguidá-lo. Este desejo era muito normal, um desejo natural. Nestes desejos não podemos apontar nada de errado, mas Deus o havia chamado para voltar a Judá, onde ele poderia aprender que Deus haveria de ser seu escudo; onde Deus haveria de mostrar-se como a sua “mais preciosa recompensa”, como Deus havia dito a Abraão. Deus mesmo está comprometido em fazer de Davi um rei em Israel. Ele foi ungido para substituir a Saul, não para ser cassado por Saul, e Davi sabia disto. Por isto seu desejo de sair desta tremenda pressão podia ser normal e natural, mas era errado. Os filisteus estavam em guerra contra Saul, por isto Davi imaginou que ali seria o lugar para estar longe de pressões. As coisas vem e vão. Parece que não aprendemos as lições que repetidas vezes Deus está nos ensinando pelas experiências da vida e voltamos aos mesmos lugares onde havíamos caído. Quanto mais Saul pressionava a Davi, Davi mais negligenciava o seu reinado e enquanto isto mais e mais os filisteus avançavam para dentro das fronteiras tomando mais e mais as terras que Deus dera ao seu povo.

Ah! Meus irmãos, que terríveis lições vamos aprendendo e nos identificando, porque não são poucas as vezes que cedemos as pressões para sermos aquilo que Deus planejou para sermos e vamos perdendo terreno na nossa vida espiritual.

Davi negou-se a estar no lugar da vontade de Deus onde seria moldado,onde suas arestas seriam tiradas, onde seria “disciplinado” conforme diz Hebreus 12, à imagem e semelhança de Deus, para ser um homem segundo o coração de Deus. Ele deixou os desejos de seu coração tomarem conta dele naquele instante. Por isto ele disse a si mesmo “eu penso que vou escapar desta pressão indo para o território dos filisteus.”

História de Elias –

Voltando para Davi, I Samuel 27, verso 2:

Dispôs-se Davi e, com os seiscentos homens que com ele estavam, passou a Aquis, filho de Moaque, rei de Gate. Habitou Davi com Aquis em Gate, ele e os seus homens, cada um com a sua família; Davi, com ambas as suas mulheres, Ainoã, a jezreelita, e Abigail, a viúva de Nabal, o carmelita. Avisado Saul de que Davi tinha fugido para gate, desistiu de o perseguir.

Davi salvou a sua própria pele, expôs seus seiscentos homens e suas famílias ao paganismo dos filisteus, depois de ter apelado a Saul (capítulo 26, verso 20), “Não me expulse de minha terra.” “Não se derrame o meu sangue longe desta terra do Senhor”. Ele queria estar onde ele pudesse cultuar a Deus. O tabernáculo, evidentemente, era onde os judeus adoravam a Deus. Mas agora Davi está pronto a pagar qualquer preço, não importaria o quanto o seu povo seria influenciado, ou o quanto seus filhos seriam influenciados, enquanto ali vivessem no meio daquele povo incrédulo e pagão.

O que Deus deixou que ocorresse ali no verso 4? Deus impediria Davi ainda que Davi estivesse fora da definitiva vontade de Deus? Não! O que acontece no verso 4? Ele deixou que as pressões cessassem “Porque Saul desistiu de o perseguir.”

Esta é uma das coisas mais horríveis desta passagem. O fato de estar fora agora daquelas circunstâncias que o pressionavam, longe da angústia da perseguição, não significa que Davi estivesse debaixo da vontade de Deus. (você tem lutado dentro de sua casa, e finalmente você diz: “chega”, e deixa a sua casa. Coloca seus filhos e esposa dentro do seu carro e foge pelo mundo. Talvez você possa se sentir melhor durante um certo tempo, longe das pressões da vida do dia a dia, um turista com o pé na estrada, longe de todas as suas responsabilidades. Fui a uma igreja e li na lista de pedidos de orações no boletim dominical a respeito de um senhor, membro daquela igreja. Oravam pedindo a Deus que ele retornasse para casa, para a sua esposa e seus dois filhos. Todos crentes. Ele se cansou de suas responsabilidades, fugindo das pressões.

Talvez você ache isto correto de se fazer, mas eu não encontrei ainda em nenhum lugar das Escrituras qualquer permissão para que alguém fuja de sua mulher e de seus filhos a fim de evitar as pressões da vida. Este senhor talvez pudesse se sentir melhor, mas ele estava fora da vontade de Deus, definitivamente). Davi se sentia melhor e Deus permitiu que as pressões fossem aliviada. Se você escolhe o erro, e sabe que o caminho que você escolheu está errado, Deus lhe permitirá que isto ocorra. Davi se sentia tremendamente bem neste momento. Ele era um turista surfando nas praias do prazer existencial, longe de toda e qualquer pressão da vida. Aquis gostou disto. Aquis certamente estaria pronto a matá-lo na primeira oportunidade que o encontrasse, mas Aquis também tinha fugido da fúria de Saul também. Você se lembra o que aconteceu no capítulo 23, quando Davi foi encurralado e enquanto isto os filisteus invadiram a terra de Israel? Saul deixou Davi e voltou, enfrentou os filisteus, e os venceu. Saul era um excelente general, ele podia ser um pouco louco, mas ele era um excelente general. Aquis perdeu os seus homens. Agora chega Davi com seiscentos homens, guerrilheiros bem treinados, com equipamento bélico, e eles querem lutar por Aquis. Davi é bem vindo com braços abertos. Foi ele alimentado e vestido, deram a eles casas, e tudo parecia do jeito que precisava ser. Mas a tragédia é que as coisas não pararam aí. Ele passou da satisfação dos desejos que são normais, naturais, mas neste caso, ilegais ou imorais aos olhos de Deus, a alguma coisa mais. Você jamais estará satisfeito com o seu status quo quando você estiver vivendo em pecado.

Por isto Davi moveu-se para um segundo estágio, o desejo por coisas. Havia uma quantidade imensa de riquezas naquele lugar, mas ele se sentia como turista, podia ver tudo, gozar daqueles bens, mas nada era dele. E pelo fato de que seus seiscentos homens viviam nas mesmas circunstâncias, certamente eles começaram a importuná-lo. Veja o que aconteceu a seguir. Aqui encontramos o “desejo dos olhos”, e Davi começa a se afundar neste engano.

I Samuel 27, verso 5:

Disse Davi a Aquis: “Se achei mercê na tua presença, dá-me lugar numa das cidades da terra, para que ali habite; por que há de habitar o teu servo contigo na cidade real? (‘entre parênteses, para que tu vejas o que eu estou fazendo’) então, lhe deu Aquis, naquele dia, a cidade de Ziclaque. Pelo que Ziclague pertence aos reis de Judá, até ao dia de hoje. E todo o tempo que Davi permaneceu na terra dos filisteus foi um ano e quatro meses.

Ziclague foi dada à tribo de Simeão quando a terra foi primeiramente dividida. Quandos os filisteus a conquistaram novamente, eles a deixaram deserta. Foi dada a Davi esta cidade deserta a qual estava nos limites do Negueve, ao sul do país, e era exatamente isto que ele queria.

Mais ao sul estavam as tribos de beduínos, que viviam do fruto de seus grandes rebanhos. Eles vinham e iam atravessando a parte alta da Península do Sinai vindo da Arábia rumo ao Egito. Eles não viviam em vilarejos, cidades, ou cidadelas muradas, e por isto eles podiam ser destruídos sem deixar evidências. Ninguém haveria de saber. Ali estava tudo o que Davi queria. Davi não pediu Ziclague, ela foi dada por Aquis, mas era perfeita do ponto de vista de Davi para que ele fizesse o que quisesse, sem qualquer interferência ou fiscalização. Temos que nos lembrar de que Aquis era um senhor feudal. E como senhor feudal ele podia exigir saber o que se passava em todas as suas terras, e que nelas se agisse com justiça. Ele tinha o direito aprovar ou reprovar toda e qualquer ação de Davi. Tinha ele também o direito de dividir os despojos de guerra. Assim, a cidade de Ziclague era um local perfeito para Davi, porque estava distante o suficiente dos olhos de Aquis e ali ele podia aprontar das suas. Deus novamente permitiu que Davi agisse fora de seus caminhos. Deus deu a Davi um lugar perfeito onde ele estava longe dos olhos do chefe, agindo sem dar satisfação a ninguém. No Verso 8, ele caminha do engano para o engano e acaba no assassinato.

I Samuel 27, verso 8:

Subia Davi com os seus homens (literalmente, invadia para saquear) e davam contra os gesuritas, os gersitas e os amalequitas; porque eram estes os moradores da terra desde Tela, na direção de Sur até à terra do Egito. (Sur estava a este da fronteira da terra do Egito. Parece que ali havia uma muralha. O que dá a entender é que nos tempos dos Faraós foi construída uma série de muralhas para proteção contra os inimigos. Estas tribos eram andarilhas, não tinham residência permanente, nada foi deixado como evidência de suas presenças naquela região.) Davi feria aquela terra, e não deixava com vida nem homem nem mulher, e tomava as ovelhas, e os bois, e os jumentos, e os camelos, e as vestes (Davi simplesmente os despojava de tudo, sem deixar qualquer vestígio. Você pode ver o que o está possuindo agora. Ele não domina mais o seu pecado. O seu pecado o domina); voltava e vinha a Aquis.

Do ponto de vista de um saqueador ele está trabalhando de forma perfeita. Mas ao mesmo tempo, de uma forma misteriosa, algo também está trabalhando na vida de Davi – a graça de Deus. Davi ia à caça de seus roubos descendo até ao “deserto dos Gesuritas, dos gersitas (este nome vem da palavra Creta, de onde, na verdade, os Filisteus vieram.) Davi, mesmo no meio de seus pecados e longe de Deus, sempre foi uma pessoa muito atraente. Ele tinha um grande carisma e fez com que todos os seus guerrilheiros lhe fossem tremendamente leais. Quando ele estava vivendo em Gate e em seus desertos, fez muitos amigos entre os filisteus. Nos é dito mais tarde, quando Davi é feito rei, que sua guarda pessoal era composta de gesuritas, gersitas, dos Peletitas e dos povos de Gate (II Samuel 15.18). Seiscentos homens e suas famílias deixaram seu país e se juntaram a Davi e se tornaram seus mais leais soldados e guarda-costas. Como é maravilhosa a graça de Deus! No meio de seu pecado, Deus provê a Davi todos os suprimentos para as suas necessidades. Quando o seu filho Absalão se levantou em rebelião contra seu pai, foram os seus leais soldados que permaneceram firmes na defesa de Davi, mesmo quando tinha ele tudo para perder e nada para ganhar. Quando ele admoestou a Itai, o Gitita, para voltar ao invés de acompanhá-los como fugitivo, Itai disse: “Tão certo como vive o Senhor, e como vive o rei, meu senhor, no lugar em que estiver o rei, meu senhor, seja para morte seja para vida, lá estará também o teu servo.” (II Samuel 15.21). Seiscentos filisteus pagãos e todas as suas famílias mudaram-se para as terras de Jeová e certamente se tornaram adoradores de Jeová. Deus estava envolvido no trabalho de salvar filisteus, mesmo usando um rei desobediente. Itai o gesurita se tornou um dos três mais importantes generais de Israel. Deus está fazendo a sua obra redentiva e ao mesmo tempo ele está lidando com Davi.

Mas agora alcançamos o estágio final, o orgulho arrogante da vida, a soberba da vida. Davi estava fazendo seu pé de meia por conta própria, com sua própria habilidade, resultado de seus enganos, todas estas coisas sustentavam a Davi.

I Samuel 27, verso 10:

E perguntando Aquis: Contra quem deste hoje? Davi respondia: Contra o Sul de Judá, e o Sul do jerameelitas, e o Sul dos queneus. (Estas eram as tribos do sogro de Moisés e eles eram protegidos pelas tribos de Judá. Assim, o que Davi está dizendo a Aquis, seu senhor feudal, é, eu estou conquistando o sul de Judá, ou invés do sul do Neguebe dos Amalequitas. Claro, ele não trazia nenhum cativo. Ele os trucidava a todos, e era assim que ele queria que fosse feito). Davi não deixava com vida nem homem nem mulher, para os trazer a Gate, pois dizia: Para que não nos denunciem, dizendo: Assim Davi o fazia. Este era o seu proceder por todos os dias que habitou na terra dos filisteus. Aquis confiava em Davi, dizendo: Fez-se ele, por certo, aborrecível para com o seu povo em Israel; pelo que me será por servo para sempre.”

Por dezesseis meses agiu assim e ele ainda assim foi bem sucedido. Em I Crônicas capítulo 12 nos é dito que muitos foram atraídos a ele e heróis e guerreiros vieram a ele de muitas partes de Israel e se juntaram a ele. Tinha ele um exército imenso, e acabou se tornando rico muito acima de seus sonhos. Ele era aceito. Ele era um líder. Ele reinou. Agora ele era o herói até mesmo em terras filistéias, como antes tinha sido em Israel. Você se lembra do cântico que entoavam em louvor a Davi: “Saul matou milhares, Davi matou dezenas de milhares.” (I Samuel 18.7). Davi estava sentado no topo do mundo. Ele podia dizer a Aquis, sem qualquer temor: “Eu pilhei o sul do país de Judá, e eu os massacrei, e despojei tudo de todos os habitantes daquela terra.” Ele podia mentir quanto a Judá, porque ninguém restava vivo como testemunha do massacre. Os conquistadores sempre traziam os vencidos como escravos. Escravos eram produto extremamente útil, especialmente no Egito. Escravos eram moeda de troca. Em I Samuel 30 quando os amalequitas conquistaram Ziclague eles tomaram todas as mulheres, todos quer fossem grandes ou pequenos. Eles não mataram ninguém. Eles os levaram para serem vendidos no mercado escravo egípcio. Mas Davi não trazia ninguém de volta. Ele não podia. Ele tinha que matá-los, homens, mulheres, crianças e até bebês. Por quê?

Porque ele não podia deixar testemunhas que provassem que efetivamente estava pilhando o próprio país filisteu. Um bebê amalequita tinha um semblante diferente de um bebê judeu. Os gesuritas, os gersitas e os amalequitas, tinham provavelmente uma aliança com os filisteus. Na verdade o que Davi estava fazendo era plantar para o futuro. Ele estava assegurando os limites de Judá. Ele estava removendo estas tribos que roubavam seu povo na calada da noite e fugiam na escuridão sem deixar rastro. Ele começou a ficar muito rico nesta retaliação. Por dezesseis meses ele fazia isto e Aquis vinha pedir conta do despojo e Davi o enganava. Ele não podia dar a Aquis nenhuma peça de roupa porque Aquis imediatamente reconheceria que aquela roupa não era dos judeus. Davi poderia lhe dar algum camelo, e algumas outras coisas que não tinham marcas identificadoras, mas não lhe daria qualquer coisa identificável. Assim viveu ele este tempo enganando o seu senhor feudal. Imagine, por dezesseis meses trucidando bebês e mantendo o seu engano e este era o “homem segundo o coração de Deus.”. Enquanto isto ele ia se sentindo mais e mais seguro, mais e mais aceito, mais e mais popular. Deus o permitiu. Ele enganou Aquis. Disse Aquis: “Fez-se ele, por certo, aborrecível para com o seu povo em Israel; pelo que me será por servo para sempre.” A primeira vez na vida de Davi, exceto por aquele breve período com Saul, ele se sente finalmente aceito, seguro, e possuindo aquilo que era dele, e Deus deixou que ele fizesse tudo aquilo. Mas o caminho do homem nos caminhos longe de Deus, acaba chegando num beco sem saída.

Interessante sobre este período particular na vida de Davi, nós encontramos nos Salmos. Saiba de uma coisa, Davi não deixou nenhum Salmo escrito deste período. Ele não tinha mais o que cantar. Ele não tinha mais como louvar a Deus. De fato, a vida em pecado não deixa espaço para a adoração. Ele não pode fazer altar ao Senhor fora de Jerusalém. Onde estaria a Arca da Aliança naquele momento. Ele não podia trazer sacrifícios ao Senhor a não ser diante da Arca da Aliança. Ele dificilmente falou com seus filhos a respeito de Yahweh e dos atributos da verdade e do amor, se em suas mãos manchava o sangue de bebês trucidados por sua espada. Seus homens não podiam também. Havia uma nulidade espiritual durante aqueles dias de suas vidas. Davi não era mais o doce cantor de Israel. Ele era o carniceiro do sul.

Há um limite onde Deus nos permite ir e Deus começa a tratar com tudo aquilo. Deus não permite que você vá muito longe sem a sua interferência. Você será pego em seu pecado.

I Samuel 28, verso 1:

Sucedeu, naqueles dias, (naqueles dias quando Davi estava fazendo um grande nome, com suas mentiras e pilhagens, matando homens mulheres e crianças) que, juntando os filisteus os seus exércitos para a peleja, para fazer guerra contra Israel, disse Aquis a Davi: fica sabendo que comigo sairás à peleja, tu e os teus homens.”

Opa! Agora nos metemos numa enrascada. Os filisteus estavam se aprontando para um grande ataque. Eles tinham vencido uma quantidade imensa de pequenas batalhas. Agora eles haveriam de varrer Israel do sul ao norte. Pense! Davi era conhecido naquele momento como traidor. Ele estava debaixo de ordens de um senhor feudal pagão, sujeito a Aqui, rei de Gate. Ele era um desertor de sua pátria. Provavelmente aqui está uma outra razão porque demorou para que ele reinasse sobre todo o Israel por sete longos anos. Os primeiros sete anos ele reinou somente sobre Judá, sua própria tribo. Esta era a tribo que recebia presentes de seus saques. Do ponto de vista das dez tribos do norte, ele era simplesmente um sanguinário traidor. Eles não estavam também apoiando a Saul, mas eles não se levantavam contra Saul por causa do testemunho de Davi. Davi havia debandado com o seu bando para as terras filistéias e por isto as dez tribos do norte não quiseram ter qualquer parte com ele.

E agora chego ao teste final de lealdade: “Aquis simplesmente diz: “Fica sabendo que comigo sairás à peleja, tu e os teus homens.”

Agora, contra quem Davi vai lutar? Contra Saul. Que pacto havia ele feito com Saul? Um pacto que ele jamais iria ferir a Saul. Ele sabia que o sangue de Saul pertencia a Deus e Davi jamais haveria de derramá-lo com as suas próprias mãos. Somente Deus haveria de tirar a vida de Saul de forma natural ou no campo de batalha. Davi havia feito este pacto com Deus. Ele também fez um pacto com Jonatas, seu amigo amado, que ele jamais tocaria em Jonatas para atentar contra a sua vida. E agora Aquis demanda que ele e seus homens lutem. Davi está agora naquilo que chamamos de sanduíche e ele é a mortadela no meio.

I Samuel 28, verso 2 a

Então, disse Davi a Aquis: “Assim saberás quando pode o teu servo fazer.”

Esta é uma afirmação com duplo sentido. Diz e não diz e assim Davi não se compromete envolvendo-se profundamente naquela enrascada.

Eu não creio, como alguns comentaristas fazem, que Davi tenha ido tão longe que agora é, de fato, seu desejo lutar contra o seu povo. Eu creio que talvez no início, mas agora ele prova que não violenta a ninguém do povo de Judá. Ele atinge outras nações inimigas, inimigas de Judá, mas ele jamais tocou em qualquer judeu. Então eu tenho que mudar um pouco o meu conceito a respeito de Davi. Ele é um mentiroso, um enganador, um hipócrita, um assassino, mas, em seu coração, ele não é um traidor do seu povo judeu.

Entretanto, agora ele tem que ser traidor ou então ele morre. Ele havia deixado Judá para se livrar da pressão imposta por Saul, que o cassava como um animal. Mas onde ele está agora? Ele está de volta para dentro da panela de pressão, mas agora são os filisteus que estão esquentando a panela. Por isto a sua resposta que diz e não diz, e por isto significa muito pouco. “Muito bem, você vai ver o que o seu servo pode fazer.” Eu serei leal ou não. Você não sabe, mas esta minha resposta soa bem não é verdade? Davi é um mestre do engano, vivendo no meio destas mentiras todas por meses. Ele tem dezessete meses de experiência, mas veja o que acontece. Deus realmente não o deixa escapar facilmente. Observe o que Aquis diz a seguir:

I Samuel, verso 2b:

Disse Aquis a Davi: Por isso, te farei minha guarda pessoal para sempre.

Davi, você é um homem de sorte! Eu o levarei de volta a cidade real, e farei de você meu guarda costas. Onde quer que formos na batalha você será o meu anjo da guarda. Estaremos juntos como unha e carne. Tudo o que você tem a fazer, tudo o que você tem para pensar é cuidar de mim e dar-me proteção vinte e quatro horas por dia.

Irmãos, quem podemos imaginar que estará cercando a Davi? Milhares de filisteus. Eu creio que neste momento a pressão de Davi subiu a 30 por 20 e não havia nenhum cardiologista por perto.

Irmãos, Deus não se deixa escarnecer. Não brinque com Deus, o seu pecado o pegará. Você será desmascarado publicamente.

Oração:

Pai, nós te damos graças pela tua Palavra e a maneira como ela nos mostra o que realmente somos, do que cada um de nós somos capazes, dos mais terríveis e inomináveis crimes, e que nós o cometeremos se tivermos oportunidade. Senhor, manda-nos da tua graça, não nos entregue a nós mesmos.

Senhor, ficamos espantados com nossa pecaminosidade, exemplificada na vida de Davi, o homem segundo o teu coração, o doce cantor de Israel, envolvido em enganos, hipocrisia, assassinatos de crianças, massacres de toda sorte.

Pai, todos nós aqui nesta sala faríamos as mesmas coisas se tivéssemos a oportunidade e as motivações. Graças te damos por nos deixar saber quem realmente somos, de tal maneira que possamos saber o quanto tu nos amas, e como é total e absoluta a tua aceitação, e que não importa o que venhamos a fazer ou dizer, ou pensar, jamais haveremos de ser afastados de tua graça.

Damos-te graças porque jamais somos tratados pelos nossos merecimentos, por isto não pedimos a tua justiça sobre nós. A tua justiça foi derramada toda sobre Jesus. Imploramos a tua graça, Senhor. Trata-nos segundo a tua bondade.

Senhor, tu nos conheces, nós não conhecemos a nós mesmos, e quando temos vislumbres do que somos e do que podemos chegar a fazer, ficamos assustados. Sabemos que o teu amor é imenso por nós, a ponto de ter Cristo morrido pelos nossos pecados, que o castigo que nos traz a paz tenha sido colocado sobre ele e por sua vida e sua morte tenham pagos totalmente os nossos pecados do passado, do presente e do futuro.

É neste nome sublime e precioso que oramos. Amém!

Rev. Ludgero Bonilha Morais

 

Deprecated: Function ereg_replace() is deprecated in /home/holdlinehost/novacriatura.com.br/templates/conteudo/html/modules.php on line 45
banner holdline espera telefonica jingles audio URA musica ambiente