header conteudo nova criatura
Descubra o segredo de Davi para vencer gigantes

I Samuel 17.31-54

Nesse estudo estará diante de nós o duelo entre Davi e Golias. Pelo fato dos Filisteus terem o monopólio da usinagem do ferro, e que em termos de armamentos, os Israelitas pudessem contar somente com suas fundas, acabaram se tornando extremamente hábeis no lidar com esta tosca arma.

As pedras que eles usavam tinham cerca de 2 a 3 polegadas de diâmetro e eram colocadas num suporte de couro, com dois estirantes de corda de couro. Giravam em alta velocidade estas pedras até o momento certo, soltando uma das cordas.

A pedra era arremessada a uma velocidade de cerca de 50 metros por segundo, e quando atingia o alvo tinha uma força de cerca de 3000 quilos de energia. Uma estilingada destas podia quebrar um osso, e podia ser atirada contra um homem em sua armadura porque nesta velocidade e força podia penetrar qualquer carapaça.

Sendo levados a esta confrontação entre Davi e Golias, podemos ver alguns princípios ali operantes:

Numero um:

Os Filisteus eram invasores na terra.

A terra havia sido dada aos Israelitas em um pacto feito por Deus com Abraão, reafirmado com Isaque e Jacó e novamente reafirmado ao povo com Moisés e Josué que os introduziu na terra da promessa.

Mas, ainda que a terra tenha sido prometida a eles por Deus, foram eles obrigados a lutar por ela.

Canaã terrestre não é o céu. Não haverá lutas no céu. Canaã é uma figura do descansar em Deus no meio das batalhas aqui em baixo.

As batalhas nas quais estamos envolvidos já estão ganhas. Estamos lutando numa posição de descanso, dependendo exclusivamente dos recursos de Deus e do tempo de Deus.

Nossos inimigos já foram derrotados em Cristo e nossa tarefa é possuir a terra pela fé. Os filisteus são invasores em nossa terra.

Numero Dois:

Os filisteus devem ser exterminados.

Enquanto estiverem por perto, terão eles uma atitude belicosa, hostil, como um povo incircunciso. Foram eles um espinho na carne de Israel por anos e anos exatamente porque não foram totalmente exterminados. Os Israelitas, por outro lado, possuíam a terra por que Deus graciosamente lhes deu, não porque eles a mereceram. Ele marcou este pacto com eles pelo sinal da circuncisão.

Circuncisão não era somente um sinal dos filhos da promessa, mas também um sinal da terra da promessa.

Assim, todo israelita macho, pertencente aquele exército acostados num dos lados daquele vale, em lado oposto aos filisteus, tinha uma marca em seu corpo que dizia:

•"Esta terra é minha.

•Deus nos deu esta terra, e eu tenho direito sobre ela para sempre.”

Ainda assim, estavam eles lá, marcados por Deus, diante de um inimigo, que não tinha direito a qualquer centímetro daquela terra, aterrorizados e imobilizados pelo pavor dos seus inimigos.

As Escrituras nos dizem que, através de Jesus Cristo, os crentes nascidos de novo, também foram “circunscidados”.

Nós somos homens e mulheres marcados e ainda que pela vontade deliberada de Deus estes Golias tem permissão para cirandarem nossas vidas, nenhum inimigo tem direito sobre nós.

Descansando em Jesus Cristo, temos que reinar como reis. Temos que exterminar e conquistar nossos direitos aqui na terra onde Deus nos tem dado.

Número três:

Enquanto Golias impunha com a sua presença física avantajada que os Israelitas ficassem imóveis de um dos lados do vale, era ele uma reprovação e uma desgraça para eles. Afinal, eram eles os “exércitos do Deus vivo”, mas ainda assim estão aterrorizados por um Filisteu incircunciso.

Que terrível contradição entre aquilo que eles eram e o como agiam!

Se permitirmos que os Golias de nossa própria vida tomem posse e dominem sobre nós, seremos desgraçados da mesma forma. Devemos levar isto em conta e jamais fazermos as pazes com ele.

Veja a vida de Josué. Ele conquistou Canaã com todos aqueles gigantes que lá habitavam, todos os Golias. Não importava, afinal, eram eles o exército do Deus vivo.

Número quatro:

Não somente existem Golias que mostram a nossa derrota, mas fazem eles deboche do Deus a quem servimos.

Se cremos que nosso Deus é o Deus do universo, se cremos que Jesus mantém o universo pela palavra do seu poder, que ele é onipotente, onisciente, onipresente e não agimos em conformidade com aquilo que cremos a respeito de Deus, também estamos escarnecendo de nosso Deus.

Em relação a isto, se me parece que os filisteus levavam uma grande vantagem. Eles tinham a posse de grande parte da região costeira e parte significativa das montanhas ocidentais. Controlavam a arte da siderurgia e o domínio sobre as armas de ferro, que reduzia as armas dos Israelitas a nada. Todas estas circunstâncias exteriores, tremendamente favoráveis, jamais os inclinava a considerar o Deus de Israel, “Yahweh” como uma opção viável.

Os Golias em nossas vidas são semelhantes a este. Se o deixarmos dominar, estaremos como que a dizer para nós mesmos, e ao mundo: “Meu Deus é muito pequeno. Ele não se adequa as situações presentes. Ele pode lidar com certos pecados exteriores, mas ele não pode lidar com o ciúmes, a inveja, o orgulho, com o nosso ego, com a luxúria, ou seja o que for”.

É verdade que é muito difícil, porque ninguém quer abrir mão dos direitos que tem sobre si mesmo, mas é isto o que Deus quer. A coisa prioritária na lista de Deus sou eu.

Vejamos, pois agora, um homem de fé.

•Os israelitas estavam de um lado do vale.

•Os filisteus estavam do outro lado.

•Golias estava no meio do vale desafiando os exércitos israelitas, os exércitos do Deus vivo,

•e eles estavam aterrados, cobertos de pavor.

Davi vem e lhes faz uma pergunta, tentando lhes trazer em foco o seu Deus.

Esta pergunta está em I Samuel 17, verso 26: “O que será feito ao homem que matar este filisteu, e tirar de sobre Israel a sua vergonha? Pois quem é este incircunciso filisteu, que possa desafiar os exércitos do Deus vivo?"

“Os exércitos do Deus vivo”, é a colocação de Davi.

Davi estava tentando que o foco deles fosse centralizado em Deus, o mesmo Deus que supriu suas necessidades quando o leão e o urso atacaram seu rebanho.

I Samuel 17, começando com o verso 31. “Então, ouvidas as palavras que Davi falara, foram elas referidas a Saul, que mandou chamá-lo. 32. E Davi disse a Saul: Não desfaleça o coração de ninguém por causa dele; teu servo irá, e pelejará contra este filisteu. 33. Saul, porém, disse a Davi: Não poderás ir contra esse filisteu para pelejar com ele, pois tu ainda és moço, e ele homem de guerra desde a sua mocidade.”

Davi e Saul eram ambos israelitas, mas cada um focalizava a sua atenção em coisas diferentes.

•Davi olhava para Deus.

•Saul olhava para Davi.

Deus havia ungido a Davi para que reinasse como rei sobre Israel. Não lhe havia sido dito: “Eu o ungi rei, vá agora e seja morto por Golias."

Assim, Davi estava olhando para o seu Deus e o pacto que seu Deus havia feito com ele, e nesta base, tinha ele plena confiança em receber forças da parte de Deus para ser um instrumento nas mãos de Deus para matar Golias, que afrontava a Deus.

Não é porque ele pensava que fosse mais forte, maior, melhor ou mais esperto do que o gigante, mas era porque ele cria firmemente que Deus havia feito um pacto com ele.

Davi haveria de reinar. Mas isto haveria de ocorrer no tempo de Deus, mas certamente Davi haveria de reinar. Deus estava comprometido com isto.

Saul por outro lado, olhava para os recursos que ali ele via, um jovem com cabelos ruivos e anelados, lindos olhos, pequena estatura comparativamente e isto não se encaixava no perfil de alguém que tivesse condições de destruir um gigante.

Por isto Saul olhou para Davi e disse: “De forma nenhuma! Não vai dar.”

Mas Davi olhou para Deus e disse: “Tu podes, contigo não há problema!”

Verso 34: “Então disse Davi a Saul: Teu servo apascentava as ovelhas de seu pai, e sempre que vinha um leão, ou um urso, e tomava um cordeiro do rebanho,”

A vitória de Davi sobre o leão e sobre o urso não ocorreram por causa da habilidade de Davi, sua força ou o seu tamanho. Mas porque ele tinha Yahweh ao seu lado, ele poderia enfrentar um urso, rasgar aquele urso ao meio, agarrar aquele urso pela barba e derrotá-lo.

Efetivamente Davi não era um super-heroi, não enfrentava costumeiramente ursos cujas garras são mortais, dentes que rasgam e matam, ou leões cuja mandíbula é tão poderosa que pode esmigalhar um crânio humano. Um leão africano pode dar um salto de 6 a 7 metros, pode tomar uma zebra em sua boca e sufocá-la.

Evidentemente, a primeira dentada é no crânio paralisando a presa. Um leão é extremamente forte. Não há como um ser humano resisti-lo com as próprias mãos.

Davi olhou para a fidelidade de Deus no passado e baseado nisto, entendeu que Deus haveria de ser fiel no presente.

No verso 37 encontramos:

37 . "Disse mais Davi: O Senhor, que me livrou das garras do leão, e das garras do urso, me livrará da mão deste filisteu. Então disse Saul a Davi: Vai, e o Senhor seja contigo."

Esta me parece uma tradução pobre. No hebraico há um maravilhoso jogo de palavras. Uma tradução mais próxima seria: “O Senhor que me livrou das garras do leão e das garras do urso, ele me libertará das garras deste Filisteus.” “Ele é somente um outro animal como um urso ou um leão, e o Senhor me libertará assim como ele o fez no passado.”

E Saul disse a Davi: “Vá e que o Senhor seja contigo”

Saul sendo um homem da carne, não nos surpreende com suas ações. A seguir temos a carne em sua sinceridade:

38. “E vestiu a Davi da sua própria armadura, pôs-lhe sobre a cabeça um capacete de bronze, e o vestiu de uma couraça.”

Saul era sincero quanto ao seu desejo de que Davi fosse vencedor. Ele deu a Davi o melhor que ele possuía, sua própria armadura, seu capacete, sua própria espada.

Mas Saul superava em tamanho todo o Israel um ombro e uma cabeça acima deles, como você bem se lembra, E Davi era relativamente um jovem pequeno.

Imagino que o capacete de Saul cobria Davi até o meio do peito. Ele simplesmente não podia correr, creio que na verdade ele não podia nem sequer andar com aquela parafernália.

Também havia uma diferença entre a batalha que Saul estava tentando lutar e a batalha que Davi sabia que era a real.

Há também uma diferença entre a armadura de Saul e a armadura de Davi.

Saul via somente o inimigo físico. Davi observava que Deus era o grande ponto. Ele queria colocar toda a armadura de Deus, que nesta batalha era somente uma funda e 5 pedrinhas.

Quando batalhamos as nossas batalhas nossa armadura não é a armadura de Saul. É a armadura de Deus.

Assim, disse Davi a Saul: “eu não posso usar tudo isto, porque eu jamais usei coisa semelhante.” E Davi se desvestiu de tudo aquilo. E ele tomou a sua funda em sua mão (Observe que entre as suas armas não havia espada. Porque espada ele haveria de usar de seu próprio inimigo) e escolheu cinco pedrinhas, cinco seixos do riacho, as colocou no seu embornal, e seu estilingue nos seus ombros, e seu aproximou do filisteu.

Aqui a armadura de Deus foram as armas de um pastor. Aquelas mesmas coisas que Davi estava tão acostumado a usar nas batalhas onde Deus o havia colocado. Deus não nos faz lutar com as armas modernas. Com uma parafernalha complicada. Ele quer que você se poste na batalha exatamente com aquelas armas que ele já lhe deu, e se coloque diante dele em fé esperando que ele use aquelas mesmas coisas vez após vez. Deus é fiel e permanece o mesmo sem;pré e aquilo que ele operou no passado ele pode operar no futuro. Se você andou em humilde obediência no passado e venceu aquelas pequenas coisas no passado por esta obediência, ele usará as mesmas armas para vencer os gigantes do presente.

O que jamais temos o direito de fazer é colocar a Deus em uma caixa, tentando limitar a Deus em seu poder. Não sabemos o quanto temos que andar pela fé até vermos os Golias de nossa vida derrotados. No entanto, temos que tomar as armas que Deus já nos deu e andarmos pela fé, tomando as precauções de tomarmos não só uma pedrinha, mas cinco pedrinhas. Davi foi ao riacho e pegou cinco pedrinhas. Ele não orou assim: “Senhor, vou pegar uma pedrinha, e é melhor que tu me ajudes a alcançar o alvo na primeira”. Embora as Escrituras no livro dos Juizes nos digam que os Benjamitas tinham cerca de 700 homens peritos em atirar pedras em suas fundas, Davi não sabia quantos tiros de funda seriam necessários para derrubar um homem de 2 metros e meio de altura. Ele sabia que Deus haveria de derrotar este homem, e podia ser na primeira pedra ou na quinta, e sobre isto ele não sabia. Por isto, ele pegou o número usual de pedras e entregou nas mãos de Deus a opção que Deus mesmo escolheria para derrubar aquele gigante.

Não coloque a Deus em teste. Não tente o Senhor teu Deus. Isto seria completamente infantil. Diga, ao invés disto: “Graças te dou, Senhor, pois eu sei que tenho a vitória. Eu sei que ela é minha. Como e quando tu me dar mas eu sei que ela é minha. Por isto vou fazer tudo aquilo que estiver em meu alcance e estar preparado para tudo aquilo que tu quiseres que eu faça. Eu usarei a minha mente que tu me destes, torne-a mais e mais afiada e pronta.” Foi exatamente isto que Davi fez:

Verso 41. “O filisteu também vinha se aproximando de Davi, tendo a sua frente o seu escudeiro.”

Observe também “Que os filisteus amaldiçoaram a Davi por seus deuses.” Eu creio que esta tradução acabou perdendo um ponto deveras importante. “Deuses” é a mesma palavra hebraica usada em Gênesis 1.1, que fala a respeito do verdadeiro Deus como Criador. Eu penso que a tradução deveria ser que “eles amaldiçoaram a Davi pelo seu (Davi) Deus”, porque no verso 45, Davi afirma que Golias desafiou o Deus dos exércitos de Israel. Eu creio que Golias blasfemou contra Deus, Yahweh, quando menosprezou a Davi, e então e naquele mesmo momento ele passou a ser um homem morto. Davi disse a si mesmo: “Eu o tenho em minhas mãos agora. Ele apontou as suas armas contra Yahweh. Ele e um homem morto.”

Golias tinha cerca de 2 metros e meio de altura, vestido numa armadura de bronze, uma lança em suas costas, um arpão em sua mão, uma espada em seu flanco e um tremendo de um escudo protegendo sua cabeça e peito. Por outro lado Davi tinha um bordão, cinco pedras em seu alforge e uma funda lançada sobre o seu ombro. Poderia você dizer que a atitude de Golias era de uma tremenda arrogância e auto-confianca.

Agora observe as ações de Davi registradas nos versos 45, até 47. Verso 45:

45.“Davi, porém, lhe respondeu: Tu vens a mim com espada, com lança e com escudo; mas eu venho a ti em nome do Senhor dos exércitos, o Deus dos exércitos de Israel, a quem tens afrontado. 46. Hoje mesmo o Senhor te entregará na minha mão; ferir-te-ei, e tirar-te-ei a cabeça; os cadáveres do arraial dos filisteus darei hoje mesmo às aves do céu e às feras da terra; para que toda a terra saiba que há Deus em Israel; 47. e para que toda esta assembléia saiba que o Senhor salva, não com espada, nem com lança; pois do Senhor é a batalha, e ele vos entregará em nossas mãos.”

Depois de focalizar efetivamente contra quem estava ele lutando, veja a segurança e a tranqüilidade que Davi demonstra no verso 46: Neste dia o Senhor (yahweh, no Hebraico o Deus pactual de Israel. Davi esta apelando para este pacto.

  • Pela circuncisão possuía ele a marca do pacto gravado em seu próprio corpo.

  • Esta terra lhe fora dada como uma dádiva do próprio Deus.

  • Esta terra lhe fora dada por Yahweh, e ele está colocando a Deus sob prova naquele sentido. Ele está dizendo “Tu nos deste esta terra. Em ti somente eu confio e nas tuas promessas.) o Senhor o entregará nas minhas mãos, e ferir-te-ei, e tirar-te-ei a cabeca ( Isto parece algo impossível, visto que Davi nem espada tinha. Mas Golias tinha uma espada, e ele já era um homem morto porque havia blasfemado contra Yahweh). E eu darei o cadáver do exercito dos filisteus as aves dos céus e as bestas feras da terra, para que toda a terra possa saber que há um Deus em Israel, e toda esta congregação (eclésia – segundo a traducao da Septuaginta – Igreja) possa saber que o Senhor (yahweh) salva, não com espada, nem com lança, porque do Senhor é a batalha, e ele vos entregará nas nossas mãos (não nas minhas mãos).”

Davi percebe claramente a diferenca entre a glória de Deus e a glória do homem. Ele diz: “O Senhor te entregará nas minhas mãos, não por causa da minha gloria, mas por causa da Sua gloria. “

Observe que Davi declara que Deus tem duas razões redentivas para derrotar os Filisteus.

1.“... para que toda a terra possa saber que há Deus em Israel” Davi está dizendo “Israel é onde Deus vive. Os israelitas são o povo de Deus. Se você quer saber a respeito do verdadeiro Deus, venha conhece-lo no meio do povo de Deus. Nós somos a igreja de Deus. Nós somos o povo de Deus.”

2.“... e que toda esta multidão possa saber que o Senhor (Yahweh) não liberta pela espada e pela lança.” Ele esta olhando agora para a igreja ali reunida. Ele esta vendo o povo de Deus ali presente. Ele quer que eles saibam que eles são o povo do pacto e que o povo do pacto não é libertado pelo poder da espada e nem da lança (esta era a maneira como quizeram armar a Davi). Ele queria lhes mostrar que a batalha era do Senhor e que Yaweh haveria de dar os Filisteus nas suas mãos. Ele não daria nas mãos de Davi, absolutamente."

Quantas vezes colocamos nossa confiança nos recursos humanos. Deus não necessita de nossa integridade, de nossa forca de vontade, de nosso caráter resoluto, dos nossos mais valentes esforços para lidar com os Golias, ou até mesmo com um poderoso exercito filisteu por detrás dele em nossas próprias vidas. A batalha é do Senhor. Ele haverá de tratar conosco ate que tenhamos depostas as nossas armas carnais, até que toda a nossa esperança esteja depositada nEle e nEle somente. Ele quer nos ensinar que de entre os mortos Deus tem o poder da ressurreição. Ate que crucifiquemos e coloquemos em sacrifício de morte tudo aquilo no que confiamos fora de Jesus Cristo e na vida que nele temos, se não for assim jamais poderemos experimentar a plenitude da ressurreição do poder de Cristo. Nosso Deus esta determinado em nos colocar em muitas aflições, perseguições, perplexidades, da tal forma que a vida de Jesus Cristo possa se fazer manifesta em nossa carne mortal.

Verso 48 “Quando o filisteu se levantou e veio chegando para se defrontar com Davi, este se apressou e correu ao combate, a encontrar-se com o filisteu. “

Observe que Davi “se apressou,... e correu ao encontro de Golias” de tal forma que se aproximasse rapidamente. Diante dele estava um gigante de 2 metros e meio, vestido com sua armadura fenomenal, com espada e lança assustadoras, mas ele estava ansioso para chegar o mais perto possível de Golias porque a batalha já estava ganha, e ele sabia disto. Golias havia desafiado a Yahweh, e Davi nada mais era do que um instrumento na batalha de Deus.

Verso 49 (Golias estava tão certo da vitória que deixou a testa desprotegida) “E Davi, metendo a mão no alforje, tirou dali uma pedra e com a funda lha atirou, ferindo o filisteu na testa; a pedra se lhe cravou na testa, e ele caiu com o rosto em terra.”

Você poderia pensar que com toda aquela parafernalha que Golias seria invencível, mas qualquer capacete usado naqueles dias deixava a cara de fora. Havia um ponto frágil em toda aquela armadura e nada poderia deter aquela pedra usada por Davi

Verso 50. “Assim Davi prevaleceu contra o filisteu com uma funda e com uma pedra; feriu-o e o matou; e não havia espada na mão de Davi.”

Nós devemos nos lembrar como crentes que estamos lutando batalhas que já estão ganhas. Colossenses 2 nos afirma que na cruz Jesus triunfou sobre satanás tal como os conquistadores romanos nos dias de Roma. Paulo afirma claramente que Cristo amarou a satanás e ele foi exposto publicamente ao vexame na cruz e o nosso inimigo e todas as suas forcas demoníacas foram derrotadas. Como filhos de Deus estamos lutando batalhas já vencidas.

Agora observe o que aconteceu a todos aqueles homens quando Davi revelou aquele imenso ato de fé, verso 52 “Então os homens de Israel e de Judá se levantaram gritando, e perseguiram os filisteus até a entrada de Gai e até as portas de Ecrom; e caíram os feridos dos filisteus pelo caminho de Saraim até Gate e até Ecrom.” As duas mais importantes cidades fortificadas dos filisteus.

Com uma fé renovada no Senhor, o povo de Deus derrotou os filisteus ainda que eles fossem superiores em forca humana e bélica com todas aquelas espadas. Ainda que usassem toscas armas, fundas como se fossem cassadores de passarinhos, ainda assim eles invadiram as cidades fortificadas, e mandaram para o seu devido lugar aqueles incircuncisos filisteus. Os filisteus vestidos com toda aquelas pesadas armadura não podiam correr rapidamente, por isto acabaram sendo pegos um por um.

Mais tarde Davi fez de Jerusalém o centro de toda a adoração a Deus. E ali se levantou uma verdade que ate hoje prevalece – Ninguém pode derrotar os exércitos do Deus vivo. Ninguém pode derrotar o povo de Deus.

Nós somos o templo do Deus vivo. Ninguém pode nos atingir sem antes atingir a Yahweh. Qualquer batalha que estejamos enfrentando, devemos nos lembrar que nelas o Senhor é o nosso comandante. Ele determinou que vençamos porque ele determinou que o templo do Deus vivo jamais será lugar para o escarneo dos incircuncisos . Davi creu nesta maravilhosas verdades, e nós também cremos nelas.

Oração

Bendizemos-te o Deus por esta história impressionante que nos ilustra como tu ages e pela convicção de que somos mais que vencedores agora em Jesus Cristo, que nos estamos lutando batalhas que já estão vencidas, por isto não precisamos temer os filisteus e nem os gigantes que se nos apresentam a cada instante em nossa vida tentando nos amedrontar. Graças te damos porque as nossas batalhas não são nossos mas são tuas, e nelas tu estas presente garantindo nossa vitória. No nome de Jesus nos oramos. Amém.

Rev. Ludgero Bonilha Morais

 
banner holdline espera telefonica jingles audio URA musica ambiente